segunda-feira, 4 de julho de 2005

Férias

Estou em Portugal por uns dias. Cheguei na sexta, e fico até à próxima segunda.
Comigo veio o Vitaliy, meu amigo da Ucrânia, que me tem obrigado a acordar às 7 da manhã para ir para a praia. Hoje vamo-nos encontrar com o Roberto, o Juan e a Catalina, que vêm do Porto, e visitaremos a Nazaré e Óbidos. Nos próximos dias vou mostrar-lhes Lisboa e Sintra, mas sobretudo aproveitar a praia. Na quinta chega o Eduardo, para passar o fim-de-semana. Para mim, é um prazer podermos passar na minha terra o último momento todos juntos, uma vez que o Vitaliy e o Roberto vão regressar nos próximos dias definitivamente aos seus países.
Pelo meio deve nascer o meu sobrinho João, aliás foi precisamente por isso que marquei a viagem para estes dias. A qualquer momento pode acontecer! Que sorte eu poder conciliar os tempos do Master sem perder os grandes acontecimentos aqui!
Estou de volta a Londres no dia 11. Nos próximos 2 meses tenho de fazer o trabalho final, sobre as parcerias entre o sector público e o sector voluntário, para entregar a 1 de Setembro. Vou para uma nova residência, mas muito perto da anterior. O João Raposo também vai estar a fazer um curso na LSE durante 1 mês, e conseguiu um quarto na mesma residência.
Por enquanto, há que aproveitar o sol e o mar! Apesar de há uns dias ter estado também muito sol e calor em Londres, nunca é a mesma coisa. Nunca terá a luz de Lisboa, muito menos a companhia do mar, ou o crepitar do peixe na grelha tão caracteristico do nosso Verão.
É muito bom estar em casa!

1 comentário:

Constança :D disse...

Olá Tiago: falando de cores... eu tenho aulas de pintura já há uns anos, e a minha professora é uma francesa que veio para cá morar há 35 anos, e cá ficou. Costumamos pintar nas aulas bastantes casas, portuguesas claro, a partir de fotos "com muita luz", e é engraçado que ela nos propoõe pintar as sombras de azul! "De azul??" dirias tu! Pois é verdade, e vais ver que o resultado final do quadro é mesmo parecido com a reslidade.
Há uns meses fui a merseille, e levei, como sempre, o meu carnet de voyage onde pintei umas casitas, mas sem sombras azuis, porque as casas não são caiadas: têm paredes de pedra, telhados pretos, algumas são pintadas de conzentos e cremes... e comentei isso com prof, o facto de n poder fazer sombras azuis, e a resposta foi:" Pois é, só em Portugal é que as sombras são azuis, e são as mais bonitas do mundo, pq em mais nenhum lado são assim!"
Giro, n é? Termos mta sorte com o nosso pequeno país, pq é mt especial em mtas coisas, mtas das quais nem sempre reparamos! O facto de termos as casas caiadas de branco e uma luminosidade só nossa reflectem-nos o nosso céu (sempre azul) nas sombras...